logo-abii-site

55 (47) 3305-0732

contato@abii.com.br

Blog da ABii

Entenda o que são robôs móveis autônomos, seus aspectos de uso e aplicações

Tempo de Leitura: 5 minutos

Os robôs móveis autônomos (ou AMRs, do inglês Autonomous Mobile Robots) são tecnologias que já existem há um certo tempo, mas que ganharam maior popularidade nos últimos anos, com a indústria 4.0. Inclusive, de acordo com uma matéria produzida pela The Henry Ford, o primeiro robô industrial foi desenvolvido na década de 1960, pelo inventor George Devol. Ele ficou conhecido internacionalmente por criar o Unimate (o nome do primeiro robô), feito que o fez ser batizado como o “Avô da robótica”.

Mesmo assim, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o que são robôs móveis autônomos, quais são seus aspectos de uso e aplicações. Tendo isso em vista, preparamos este conteúdo para apresentar o essencial a respeito do tema. Usamos como base de informações o 1º Seminário Nacional de Robótica Móvel Autônoma, realizado pela ABII em 2021, que contou com a presença de especialistas no assunto que atuam em 4 empresas associadas. Confira!

Entenda o que são robôs móveis autônomos

Samuel Luiz Bim, gerente de engenharia da Selettra, foi um dos especialistas que marcou presença no 1º Seminário Nacional de Robótica Móvel Autônoma. Ele definiu os robôs móveis autônomos como “uma tecnologia da Indústria 4.0 capaz de se autoconduzir.” Em outras palavras, é uma tecnologia móvel que dispensa o comando humano para seu funcionamento, sendo o transporte autônomo de carregamento de carga um bom exemplo.

O gerente ainda destacou que os veículos móveis autônomos podem se dividir em duas categorias:

1.  Veículos autônomos guiados

Os veículos autônomos guiados (AGVs) são semelhantes aos robôs móveis autônomos. No entanto, se diferenciam porque necessitam de um trajeto previamente definido para cumprir sua função, seja para carregar pessoas ou objetos.

O exemplo mais comum é a colocação de uma fita no chão dentro de um galpão industrial ou produtivo, que servirá de apoio ao trajeto de um AGV. Assim como os AMR, é também uma solução da Indústria 4.0.

2.  AMRs

Os AMRs, por outro lado, não necessitam de um trajeto para funcionar. De acordo com Samuel Luiz Bim, “são tecnologias que conseguem se auto localizar e, dessa forma, definir a melhor rota para cumprir sua missão.” São, ainda, ferramentas da Indústria 4.0 que conseguem desviar de obstáculos que estejam em seu caminho. Ele complementa afirmando que “os AMRs são uma evolução dos veículos autônomos guiados”.

Nesse contexto, Guilherme Okuyama, que é especialista em produtos da Pepperl+Fuchs, destaca quais são os princípios tecnológicos dessa solução. Melhor dizendo, ele nos apresenta quais são as tecnologias que fundamentam o seu funcionamento. Veja:

  • Algoritmos avançados

Os AMRs utilizam algoritmos de softwares altamente avançados, que são capazes de mapear o local, bem como de se localizar a partir desse mapeamento. Não importa o tamanho do local, essa tecnologia pode mapear e se localizar, desenvolvendo as operações para as quais foi designado dentro desse ambiente.

  • Sensores inteligentes

Além de algoritmos avançados, Guilherme Okuyama também aponta que os AMRs possuem sensores inteligentes de dimensões variadas, que fazem com que  consigam se desviar de obstáculos e, dessa maneira, cumprir sua tarefa.

Normalmente, destaca ele, “os sensores inteligentes de um AMR vêm acompanhados de câmaras de última geração, que também têm a missão de ajudar a tecnologia a se orientar em determinado ambiente”. É uma ferramenta de trabalho que unifica os principais avanços tecnológicos da Indústria 4.0, no que diz respeito a esse campo.

Conheça as principais vantagens dos AMRs

Ainda na oportunidade, Samuel Luiz Bom destacou as principais vantagens que os AMRs podem oferecer a uma indústria ou comércio. Veja:

  • Podem substituir ou complementar o sistema de transporte tradicional da indústria. Com isso, é possível aumentar a eficiência e produtividade nas operações que necessitam dessa tecnologia;
  • É permitido expandir os AMRs. Inicialmente, pode o empresário investir em uma linha enxuta e depois expandir conforme o crescimento de sua empresa;
  • São tecnologias capazes de reduzir acidentes no ambiente de trabalho. Consequentemente, tanto preserva a integridade dos colaboradores, como também ajuda a empresa a reduzir custos nesse sentido;
  • São soluções ergonômicas, portanto, capazes de se adaptarem perfeitamente às necessidades do operador.
  • É uma tecnologia flexível, no sentido de que pode se adaptar a diversos ambientes;
  • Tem fácil instalação. Afinal, diferentemente dos AGVs, que exigem uma infraestrutura para que funcionem, os AMRs eliminam qualquer infraestrutura de instalação.

Quais são os aspectos de uso e aplicações dos robôs móveis autônomos?

Agora que você sabe o que são AMRs e quais são suas principais características tecnológicas e vantagens, é provável que esteja se perguntando quais são seus  aspectos de uso e aplicações. Observe:

Aspectos de uso dos AMRs

Nesse sentido, vale trazer alguns apontamentos feitos por Edicley Machado, gerente de marketing e engenharia da Omron, e Luiz Henrique Buzzi, que é analista de produtos na Pollux Part of Accenture.

Então, a primeira coisa que se precisa saber nessa direção, aponta Luiz Henrique Buzzi, são as características do ambiente em que um AMR pode ser usado. Basicamente, o seu ambiente de uso precisa apresentar as seguintes características: solo pouco acidentado, ambiente controlado e chão limpo, sem óleo, por exemplo. Essas são as condições ideais para um uso eficiente dessa tecnologia.

Ainda nesse contexto, o analista de produtos destaca que “um AMR pode ser usado não apenas no chão de fábrica, mas também no ambiente externo, desde que apresente as características  mencionadas.”

Outro aspecto de uso dessa solução é a infraestrutura. A indústria só necessita contar com um computador ou tablet para programar o AMR, de maneira a fazer com que consiga mapear o ambiente, como as posições das paredes e colunas.

Usando a rede wi-fi do local, “é possível fazer a programação dessa ferramenta e garantir sua autonomia de trabalho”, destaca Luiz Henrique Buzzi. No entanto, complementa, por se tratar de uma tecnologia móvel, é necessário carregar sua bateria periodicamente. Normalmente, a bateria de um AMR dura até 15 horas, sendo necessário um tempo médio de 3 horas para carregá-la.

É possível gerir uma frota de AMRs? Esse é mais um aspecto de uso dessa tecnologia. Nesse sentido, Edicley Machado aponta “o Fleet Manager é um software que permite ao gestor gerir o uso de AMRs em um ambiente, distribuindo-os de forma a fazer com que cumpram eficientemente sua função de acordo com a capacidade de cada um.”

Aplicações dos AMRs

Quanto à aplicação dos AMRs, Luiz Henrique Buzzi aponta que são tecnologias que podem ser usadas para:

  • Movimentar cargas e até mesmo pessoas, tanto em um ambiente interno como externo;
  • Manipular objetos ou produtos;
  • Inspecionar ambientes ou campos abertos, sobretudo em áreas insalubres, que podem afetar a saúde do colaborador. Também podem mapear ambientes para construtoras;
  • Ajudar a movimentar ou coletar plantações, como laranjas, por exemplo, no ambiente da agro. Também pode atuar na pulverização de substâncias nas plantações, entre outras atividades.

Para concluir, vale destacar que os AMRs são uma tendência atualmente, especialmente por aumentarem a eficiência do chão de fábrica.

Faça parte da ABII e esteja sempre por dentro de conteúdos capazes de aprimorar seus conhecimentos na área de tecnologia. Para se associar, clique aqui.

Sobre a ABII

ABII – Associação Brasileira de Internet Industrial, fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da internet industrial das coisas e da indústria 4.0 (IIoT & I4.0) no Brasil. Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração, a geração de conhecimento e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin