logo-abii-site

55 (47) 3305-0732

contato@abii.com.br

Blog da ABii

i3C aplica soluções de IIoT em indústria de alimentos

Tempo de Leitura: 5 minutos

A i3C, uma das empresas associadas da ABII – Associação Brasileira de Internet Industrial , conseguiu aplicar soluções de IIoT (internet industrial das coisas), utilizando várias tecnologias habilitadoras da indústria 4.o, em uma indústria de alimentos de Santa Catarina. As tecnologias foram implementadas de forma integrada gerando controle, rastreabilidade e informação em tempo real.

O avanço do pensamento digital é fundamental para garantir a sobrevivência e a adaptação das empresas às  configurações do mercado, o que exige novas formas de gerenciar produtos, projetos, equipes e pessoas. Não basta adotar novas tecnologias ou automatizar processos. É preciso mudar os conceitos das empresas e das pessoas. Além disso, é preciso contar com fornecedores que possam ajudar a indústria a galgar patamares maiores, como é o caso da i3C, que é especialista em aplicar soluções de IIoT.

Neste post, você irá conhecer detalhes do projeto, que foi finalista do Prêmio ABII 2021 , reconhecido nacionalmente por destacar projetos que desenvolvem ou utilizam as tecnologias habilitadoras da indústria 4.0. Veja o case abaixo.

Visibilidade de informações em tempo real

O projeto começou em abril de 2020, quando o cliente relatou problemas de inventário. Depois de várias conversas e reuniões, a i3C entendeu que a empresa não tinha visibilidade de informações em tempo real e controle no recebimento e movimentação da matéria-prima, gerando desperdícios.

Além do armazenamento interno, o cliente adotava armazenamento de terceiros, e a movimentação da matéria-prima destes armazéns para a sede da indústria não era monitorada.

A consultoria então iniciou o projeto validando os processos da indústria. “O processo deles tinha várias oportunidades de trabalho e dividimos em duas categorias. Uma era a que chamamos de ver e agir, ou seja, fazer os ajustes necessários para ter ganhos e a outra era agregar tecnologia para validar as alterações e ter os ganhos que precisávamos”, explica Evandro Eckile, CEO da i3C.

Aplicando a metodologia Lean, os especialistas da i3C mapearam todo o processo da indústria, aplicando algumas tecnologias e processos, por meio do mapa de fluxo de valor. “Criamos esta estrutura, em um processo de 3 fases, empregando a tecnologia de acordo com a necessidade do cliente”, explica o executivo.

Foram instalados dispositivos de IIoT em vários dos processos, um dos quais foi um termômetro para aferir a temperatura da matéria-prima nos túneis de congelamento. Os sensores são colocados em pontos estratégicos da matéria-prima, apontando em tempo real quando atingem a temperatura ideal, indicando a previsão para o envio de novos lotes à produção.

Toda a comunicação com a sala de máquinas, responsável pela geração de frio, ocorre por meio das informações do dashboard, integrado ao sistema de ERP da fábrica.

Antes, um auxiliar do controle de qualidade precisava fazer este monitoramento manualmente, de hora em hora. Além da interferência da temperatura externa toda vez que o túnel era aberto, havia problemas no alcance, pois só a matéria-prima mais próxima era verificada.

Agora a medição da temperatura é realizada em tempo real, em todo o ambiente e os dashboards se comunicam com todos os setores envolvidos. Segundo Evandro, a IIoT traz agilidade para o processo, promove eficiência energética e segurança no trabalho.

Sensores de IIoT nos caminhões refrigerados

Os dispositivos IIoT de temperatura também foram colocados dentro dos caminhões que fazem a movimentação da carga de matéria-prima. Os caminhões são monitorados com sensores inteligentes, que sinalizam quando as portas dos contêineres são abertas ou fechadas, sua temperatura interna e a localização em tempo real.

“A matéria-prima é muito suscetível à variação de temperatura, então o controle rigoroso da temperatura é muito importante. Esses três dados, interligados, permitem as tomadas de decisão antes mesmo de a matéria-prima chegar à fábrica”, comenta Evandro.

Com este processo, um dos ganhos foi reduzir pela metade o custo por tonelada movimentada. “Foi um ganho extremamente expressivo. Ajustamos o processo, porque o recebimento da matéria-prima ficou mais ágil com a aplicação dos sensores de radiofrequência”, revela o CEO da i3C.

As docas também foram contempladas com os dispositivos de IIoT, para monitorar o tempo de carregamento e descarregamento dos caminhões. Além disso, foi criado também o agendamento de carregamento por janelas programadas.

“Com o IIoT de docas, sabemos quais os horários em que os caminhões chegam e quando devem sair. Se não saírem no horário correto, o dispositivo gera um alerta para o supervisor corrigir. Assim, alinhamos o processo com tecnologia que dá controle em tempo real”, afirma Evandro.

Benefícios da rastreabilidade

O RFID implantado faz o rastreio da matéria-prima em toda a cadeia de recebimento, desde o recebimento vindo dos armazéns até o fornecimento dos pallets para a produção.

A i3C criou regras de negócios que garantem que o processo ocorra de forma integral, sem dependência humana e com garantia das informações. Se a matéria-prima entrou na doca e não passa pela balança, por exemplo, a equipe é acionada. Cada embalagem agora tem sua identidade, com suas características, como a tara, registradas no sistema, garantindo a acuracidade.

“Melhoramos a acuracidade do estoque e principalmente a rastreabilidade e isso é um grande benefício para o cliente, pois implica na produtividade da indústria. A necessidade inicial do projeto foi atendida e superada. Com o uso da tecnologia conseguimos garantir a acuracidade do estoque solicitada, a rastreabilidade da matéria-prima e o compliance”, ressalta o executivo.

A consultoria adicionou também o processo de CFTV para monitorar o processo produtivo, movimentação interna e melhorias de processos. Ações que antes o supervisor tinha de ir na área e verificar, hoje são tomadas via comunicação por rádio.

O projeto durou um ano e oito meses, segundo Evandro, e teve muitas conversas, significando uma quebra de paradigmas culturais. “Fizemos muitos testes e provas de conceito, com uma evolução gigante neste processo”, comemora.

Transformação digital para a indústria 4.0

De acordo com Evandro, a questão da transformação digital para as indústrias é muito cultural, pois são poucos os empresários prontos para a indústria 4.0. Não existe ainda um ecossistema gigantesco, fortalecendo e direcionando o processo no Brasil. “Existe um movimento mas ainda é desproporcional”, revela.

A transformação digital é o caminho, independentemente do tamanho da empresa. “Transformação digital não é só colocar a tecnologia de IIoT, é preciso pensar nos processos. A principal chave são as pessoas. Se o líder do negócio não pensar assim, será difícil aderir”, enfatiza. E adverte que se, em um prazo de até cinco anos, as empresas não estiverem no movimento da indústria 4.0 passarão grandes dificuldades.

Além disso, segundo o CEO da i3C, é preciso capacitar as pessoas na tecnologia, porque se não tiverem domínio, será somente custo. Vários gestores ainda não entendem a transformação digital como um movimento geral.

Trajetória da i3C

A i3C é uma sólida empresa de tecnologia que viabiliza a transformação digital no Brasil. Com sede em Santa Catarina, atua na região Sul do País, com um time diferenciado pela experiência, alta qualificação e potencial inovador.

A história da empresa começou em 2013, investindo em Telecom. Mas depois migrou para a indústria com grande expertise. Em vez do atendimento genérico com oferta de produtos, a empresa procura identificar as necessidades dos clientes e oferecer soluções específicas, com tecnologias adequadas a cada projeto.

“Somos focados na indústria, pensando na transformação digital para que possamos trazer redução de custo e aumento de produtividade. É uma parceria ganha-ganha com o cliente”, explica Evandro.

“Participar da ABII é fundamental. Temos um carinho especial pela associação porque conhecemos seus dirigentes. Além disso, ela nos possibilita entrar em contato com pessoas em todo o País. Ela fomenta este diálogo e faz com que cresçamos e vejamos quantas oportunidades temos para desbravar”, conclui o CEO da i3C.

E sua indústria já está investindo na IIoT? Venha fazer parte da ABII e descubra as oportunidades para ingressar no movimento da indústria 4.0.

Sobre a ABII

ABII – Associação Brasileira de Internet Industrial, fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da internet industrial das coisas e da indústria 4.0 (IIoT & I4.0) no Brasil. Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração, a geração de conhecimento e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin