logo-abii-site

55 (47) 3305-0732

contato@abii.com.br

Blog da ABii

Conheça os seis cases selecionados na segunda rodada do Prêmio ABII 2021

Tempo de Leitura: 10 minutos

Termica Solutions, Accenture Brasil, Latos, Macnica DHW, SMC e Erzinger são empresas com cases selecionados na segunda etapa do Prêmio ABII 2021. O prêmio, reconhecido nacionalmente por destacar projetos que desenvolvem ou utilizam as tecnologias habilitadoras da indústria 4.0, é realizado pela ABII – Associação Brasileira de Internet Industrial. A ação está alinhada a missão da associação, que é de acelerar a indústria 4.0 e a internet industrial das coisas no Brasil.

“A proposta do Prêmio ABII supera a competição. É uma grande oportunidade de conectar protagonistas da transformação digital da indústria no Brasil, mostrar a força que a indústria 4.0 vem ganhando, conhecer e apresentar cases inspiradores. Os seis participantes desta segunda rodada concorrem com excelentes soluções e ganhos, o que aumenta ainda mais nosso entusiasmo e confiança na indústria 4.0 no Brasil”, destaca Evandro Eckile Rodrigues, líder do GT Negócios da ABII, que atua na organização do Prêmio em 2021.

Conheça a história do prêmio ABII

Evandro irá conduzir as apresentações dos seis cases selecionados na segunda rodada, em live no dia 29 de setembro, às 17 horas, com transmissão nos canais do YouTube e LinkedIn da ABII, participação aberta ao público e gratuita para quem tiver interesse. Neste dia, o júri irá definir três cases para a grande final do prêmio no dia no dia 27 de outubro. Três empresas já tiveram seus cases classificados para a final na primeira rodada: Hedro, I3C Soluções e Erzinger. Todas as etapas do Prêmio ABII 2021 estão sendo realizadas de forma online.

Conheça os três cases que já garantiram vaga na final

Em sua 4ª edição, o prêmio funciona como um palco para as empresas mostrarem seus projetos ao mercado e também ajuda a inspirar novas possibilidades, mostrando na prática como as empresas estão aplicando as tecnologias. Neste ano, a grande novidade é que o prêmio foi aberto para qualquer empresa que fornece soluções ou está sendo transformada pela indústria 4.0 e não apenas para as empresas associadas da ABII. Na grande final um time de jurados externos fará a avaliação dos projetos.

Abaixo, neste post, confira os resumos dos cases selecionados na 2ª rodada; um pouco mais sobre quem são os jurados; além dos critérios de avaliação e sistema de pontuação; o serviço da live de 29 de setembro e as regras na íntegra. Os resumos estão publicados na ordem em que vão ocorrer as apresentações na live. Para isso, foi realizado um sorteio pelo GT Negócios. Confira:

Empresa: Termica SolutionsCase: “Geração de energia 4.0: mais energia e menos emissões usando IA”

Resumo enviado na inscrição: A ArcelorMittal Tubarão selecionou a TERMICA Solutions para ajudar no desafio de reduzir as emissões atmosféricas da sua central termoelétrica a fim de reduzir as emissões atmosféricas, gerar mais energia e trazer uma melhor qualidade de vida à vizinhança. Neste case, mostraremos como e o quanto as tecnologias habilitadoras da indústria 4.0 podem trazer de benefícios econômicos, ambientais e sociais, impactando positivamente organizações, pessoas e meio ambiente.

Empresa: Accenture do Brasil

Case: “Inspeção automática de sucata”

Resumo enviado na inscrição: A Gerdau é a maior empresa Brasileira produtora de aço e uma das principais fornecedoras de aços longos nas Américas e de aços especiais no mundo. No Brasil, também produz aços planos e minério de ferro. Além disso, é a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, anualmente, milhões de toneladas de sucata em aço. A sucata é, portanto, uma das principais matérias-primas empregadas no processo produtivo. Aumentar o nível de automatismo e confiabilidade no processo de recebimento é chave para o negócio. Esse projeto teve por objetivo automatizar o processo de inspeção de sucata, através da implantação de uma solução integrada composta de scanners lasers, modelos de “machine learning” para reconhecimento do tipo e identificação dos níveis de não-conformidade, provendo informações e alarmes para os classificadores responsáveis pelo recebimento da carga.A utilização de técnicas avançadas de modelamento e performance de análise, a partir de dados capturados por sensores lasers, propiciaram o desenvolvimento de uma solução de inspeção 100% automática e de acuracidade elevada, que suporta os classificadores em sua rotina de recebimento das cargas de Sucata. A solução desenvolvida combina scanners lasers 2D com algoritmos de alta precisão, para identificação do tipo de sucata e mapeamento do perfil da carga. Ao passar por um determinado ponto de medição, o caminhão é “scanneado” e sua imagem 3D é capturada. O peso da carga também é obtido, quando da passagem do caminhão pela balança. A partir da associação do peso e perfil de carga proporcionado pela análise de sua imagem, uma série de cálculos é realizada, considerando as variáveis que caracterizam determinada carga, e que são significantes para o processo de inspeção. A partir daí é feita uma comparação das variáveis e perfis de carga calculados pela solução, com o que seria o perfil de uma carga padrão livre de não-conformidades. Diferenças existentes entre as variáveis calculadas e as variáveis padrão, resultam em potencial nível de não conformidade de uma carga, que é alarmado pela solução e repassado ao classificador final, responsável pelo recebimento da carga.

Empresa: Latos

Case: “Manutenção preditiva em equipamentos de usinagem utilizando sensores de vibração”

Resumo enviado na inscrição: A Stihl procurou a Latos para minimizar os custos de manutenção e aumentar a disponibilidade de suas máquinas, que precisavam de manutenção com frequência maior do que a informado pelo fornecedor. Com base em dados de sensores de vibração dos últimos 3 meses, uma análise e estudo detalhado do comportamento dos dados foi elaborada, visando a obter maior controle e previsão sobre falhas e com isso diminuir a necessidade de manutenções corretivas e preventivas. Foram desenvolvidos indicadores, como índice de degradação dos equipamentos e estimação de vida útil remanescente, que foram mostrados em telas intuitivas para o cliente que auxiliam na tomada de decisão. Com quase um ano de desenvolvimentos, o projeto foi expandido de 10 para 20 máquinas, com estimativa de expansão para 40 máquinas ainda em 2021. Como resultado, o custo de manutenção foi reduzido em 28% e o aumento da disponibilidade das máquinas foi aumentado de 3000 horas para cerca de 9000 horas. O projeto continua em andamento e expansão.

Empresa: Macnica DHW

Case: “Conectividade IIoT: comunicação entre equipamento e controlador via fibra ótica em plataformas de petróleo”

Resumo enviado na inscrição: A comunicação de dados é um dos pilares da Internet da Coisas Industrial – IIoT, e o conceito se aplica na comunicação entre equipamentos de diversos setores, inclusive o setor petroleiro. Quando os equipamentos a serem controlados estão submersos a centenas de quilômetros, esta comunicação deve garantir total confiabilidade e precisão nos dados auferidos pelo sistema. Neste cenário, o desafio é implementar um sistema de comunicação de dados utilizando fibra ótica de vidro com alta taxa de transferência, considerando que o equipamento e o controlador estão separados por 120 km de distância. A solução foi desenvolver um sistema em uma FPGA da Intel, para realização da comunicação de dados IIoT de alta velocidade, da ordem de 1,25 Gbps. Ao final, sistema completo foi testado por mais de duas semanas sem nenhum erro, validando o projeto realizado.

Empresa: SMC

Case: “Solução wireless para células de solda”

Resumo enviado na inscrição: O case é uma solução conjunta entre SMC e ABB, que propuseram um avanço tecnológico no desenvolvimento de células de solda através da tecnologia Wireless. Em suma, o desenvolvimento de células de solda conta com muitos desafios complexos que exigem soluções cada vez mais inovadoras para realizar a sua automação, em particular, lidar com cabos de comunicação tem sido uma tarefa desafiadora, visto que os mesmos são utilizados em partes móveis do equipamento, como robôs, mesas rotativas e grippers. Devido ao movimento constante, os cabos de comunicação sofrem esforços contínuos que reduzem significativamente a sua vida útil. O monitoramento das suas condições é uma tarefa difícil e o que se observa na indústria é a necessidade de um sistema mais robusto para esse tipo de aplicação. A ABB encontrou no portfólio da SMC os terminais de válvulas com tecnologia Wireless, que foram a solução ideal para a sua aplicação, removendo os cabos de comunicação dos dispositivos móveis, trazendo mais robustez e confiabilidade para os seus clientes finais.

Empresa: Erzinger

Case: “Solução em linha contínua de lavação de peças integrada ao ERP”

Resumo enviado na inscrição: O projeto surge perante a necessidade de interação entre sistema de gestão produtiva (ERP) e o equipamento que venha a fazer o processo de lavação e proteção de superfície por aspersão das peças introduzidas neste processo. A necessidade de integração e interação com o ERP permite uma flexibilização e maximização do processo adotado, sendo que são inseridas regras de processo a serem obedecidas e controladas pelo equipamento. Dados como pressão, temperatura e sequências de operação de cada processo produtivo são atribuídas às peças quando cadastradas no ERP, cada lote ou sequência de produção são lidos de forma manual através de cartão de produção antes de adentrar ao equipamento Erzinger. Esta informação é carregada pelo sistema de controle juntamente com o deslocamento das peças, sabendo assim onde cada peça está posicionada ao longo dos diversos processos, desta forma pontualmente às necessidades. O equipamento é dotado de sensores para identificação de presença das peças, fazendo assim o sequenciamento para o processo seguinte. Há cinco estágios ou processos diferentes, que operam de forma individual ou cooperada criando diversas combinações que são definidas pela equipe de processos industriais do cliente ao inserir um novo item no ERP. Cada estágio é dotado de um sistema de spray, onde é realizado a aspersão do produto através de bombas. Os dois primeiros estágios são aquecidos e dotados de sistema de geração de calor através de queimadores a gás natural, o controle se dá por meio de sensores de temperatura instalados nos estágios 1 e 2. Cada estágio é acionado ou não dependendo da peça introduzida, sendo que a informação para ligar cada estágio bem como a pressão e se há um setup entre peças é alimentado pelo sistema de gestão produtiva (ERP). Sensores monitoram a pressão especificada e determinada para cada tipo de peça introduzida ao processo. Outros sensores como de vibração monitoram cada bomba indicando alguma anomalia. Sensores para medição do consumo de gás, água e energia elétrica são aplicados a fim de fornecer informações dos consumíveis. Temperatura, corrente elétrica, temperatura dos motores das bombas são monitoradas com o mesmo objetivo e fornecendo informações em tempo real possibilitando consultas posteriores. O equipamento alimenta o ERP com informações sobre paradas de máquina e/ou processo, tornando assim uma ferramenta de análise contínua. Toda essa telemetria é enviada e armazenada em nuvem com o objetivo de fornecer dados para acompanhamento e melhoria contínua de processo e manutenção.

Quem serão os jurados da 2ª rodada do Prêmio ABII

  • Daniel Marques de Moraes, diretor da ABII e gerente de Transformação Digital e Inovação da Tupy

  • Luís Gonzaga Trabasso, vice-presidente da ABII e pesquisador chefe do Instituto Senai de Inovação em Sistemas de Manufatura e Processamento a Laser de Joinville e professor da divisão de engenharia mecânica do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA)

  • Marcelo Gramigna, diretor da ABII e Product Manager do segmento manufatura da TOTVS

Critérios de avaliação

  1. Facilidade de aplicabilidade no mercado;

  2. Se gerou novo negócio para empresa ou mercado;

  3. Quantidade tecnologias impulsionadoras para a indústria 4.0 utilizadas;

  4. Pilares da IIoT ou indústria 4.0 atendidos;

  5. Amplitude de atendimento para empresa ou sociedade;

  6. Escalabilidade;

  7. Clara definição do problema vigente que precisa ser ou foi resolvido;

  8. Indicadores de resultado, como foi validada a solução, quais os resultados mensurados e ganhos competitivos;

  9. Case aplicado no Brasil ou desenvolvido por unidade do Brasil;

  10. Grau de inovação.

Serviço

O QUÊ: live de apresentação dos cases selecionados na 2ª rodada do Prêmio ABII 2021

QUANDO: 29 de setembro, às 17 horas

COMO: ao vivo e gratuito nos canais do YouTube e LinkedIn da ABII.

Confira todas as regras na íntegra

  • A inscrição ao Prêmio ABII 2021 será aberta a toda comunidade, não se limitando apenas aos associados ABII. Todas as empresas que fornecem soluções ou estão sendo transformadas pela indústria 4.0, poderão inscrever um ou mais cases.

  • Se o case for inscrito entre 9/6 e 9/7, automaticamente participará da 1ª rodada do Prêmio ABII 2021, conforme cronograma. Se o case for inscrito entre 4/8 e 3/9, automaticamente participará da 2ª rodada do Prêmio ABII 2021, também conforme cronograma.

  • A apresentação dos cases deverá conter informações institucionais da empresa limitadas a 1 slide e o conteúdo no máximo em 9 slides, sendo que o conteúdo total não poderá ultrapassar 10 slides.

  • O case deverá ser enviado diretamente no formulário de inscrição em formato PDF, seguindo o cronograma de cada etapa. É permitida a inclusão de vídeo que ilustre o case, desde que esteja embedado na apresentação ou em link específico na apresentação.

  • Não será permitida qualquer alteração na apresentação do case após o envio da inscrição para 1ª ou 2ª rodada do Prêmio ABII 2021. Apenas os cases selecionados para a grande final poderão fazer ajustes.

  • No dia da apresentação (conforme cronograma), cada empresa terá 7 minutos para apresentar seu case, e mais 3 minutos para responder perguntas da comissão julgadora, se aplicável, totalizando o máximo 10 minutos.

  • Ao fim dos 7 minutos, a apresentação será interrompida pela organização, caso ainda não tenha sido finalizada pela empresa.

  • A ordem de apresentação será sorteada antecipadamente e informada aos participantes.

  • O não comparecimento de nenhum representante da empresa para a apresentação do case no momento da apresentação, o desclassificará automaticamente.

  • A curadoria do conteúdo e avaliação dos cases selecionados para demonstração na 1ª e 2ª rodadas do Prêmio ABII 2021, nos dias 04/08 e 29/09, serão realizadas por diretores da ABII e líderes dos GTs (Negócios, Tecnologia e Pessoas) da ABII e, eventualmente, convidados externos. Os nomes que integram a curadoria serão amplamente divulgados durante cada etapa.

  • O júri interno, que irá escolher os 3 cases finalistas da 1ª rodada do Prêmio ABII 2021 e os 3 cases finalistas da 2ª rodada do Prêmio ABII 2021 será composto por diretores da ABII e líderes dos GTs (Negócios, Tecnologia e Pessoas) da ABII e, eventualmente, convidados externos. Os nomes que integram o júri interno de cada etapa serão amplamente divulgados, antes da realização dos eventos de 04/08 e 29/09.

  • O evento final, com a escolha do grande vencedor do Prêmio ABII 2021, acontecerá no dia 27/10 e contará com a apresentação dos 6 cases finalistas, selecionados nas etapas anteriores (1ª e 2ª rodadas). Ou seja, 3 cases no evento do dia 04/08 e 3 cases no evento do dia 29/09.

  • No evento final haverá uma comissão avaliadora composta somente por jurados externos, não relacionados diretamente à ABII. Os nomes que integram o júri externo serão amplamente divulgados, antes da realização do evento.

  • Os seis cases finalistas poderão revisar o material final da apresentação, que deverá ser enviado até o dia 22/10. Após essa data, não será mais possível ajustar o conteúdo.

Sistema de pontuação

  • De 1 a 5 para cada critério, considerando 1 “pouco aplicado” e 5 “amplamente aplicado”.

  • Desempate: o critério de desempate será a maior média dos jurados para o critério 1. Em caso de novo empate, o critério adotado será o 2, e assim sucessivamente, na ordem dos critérios estabelecidos acima. Permanecendo o empate, será realizado sorteio.

Sobre a ABII

A ABII – Associação Brasileira de Internet Industrial, fundada em agosto de 2016, atua com o objetivo de promover o crescimento e o fortalecimento da indústria 4.0 e da IIoT (Industrial Internet of Things) no Brasil. Fomenta o debate entre setores privado, público e acadêmico, a colaboração e o intercâmbio tecnológico e de negócios com associações, empresas e instituições internacionais, a partir do desenvolvimento de tecnologias e inovação. A ABII é signatária do Acordo de Cooperação com o IIC (Industrial IoT Consortium), consórcio criado em 2014, nos Estados Unidos, com o mesmo fim, pela IBM, GE e Intel. Buscando inserir o Brasil nesta revolução, Pollux, Fiesc/Ciesc e Nidec GA (empresa detentora da marca Embraco) uniram-se para fundar a ABII.

Continue acompanhando os avanços da transformação digital e a indústria 4.0 no Brasil. Siga o blog da ABII e fique por dentro das novidades! Se preferir, associe-se e participe dessa história.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin